Informações de Contato


BELO HORIZONTE, MG

Estamos disponíveis Ligue agora.

Foto: Leonardo Miranda



Quem estiver de férias no mês de janeiro acaba de ganhar um motivo especial para animar a rotina em casa: O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal promoverá de 26 a 29 de janeiro uma programação diversificada de atividades gratuitas para o período sem aulas. Intitulada “Férias é no Museu”, a edição especial e virtual da programação convida crianças a interagirem com diversas ações inteiramente digitais criadas pelo educativo do Museu. Além disso, o museu ainda irá abrigar no dia 31, uma apresentação do premiado músico Toninho Horta, transmitida em formato de live, encerrando a programação do festival virtual Santa Mexidaria. 

Todas as atividades são gratuitas. Veja a programação completa:

e-ducativo: ateliê científico – Oficina câmera escura
Quando: 26/01, terça-feira, no Instagram e YouTube do MM Gerdau

*Oficina e tutorial em PDF para baixar no Instagram
*Vídeo da oficina também no YouTube do Museu

Quem nunca pensou em voltar ao passado ou visitar o futuro que atire o primeiro mineral! Esse fascínio sobre o tempo sempre esteve presente nas pesquisas de cientistas, filósofos e artistas independente da época, nos guiando até os dias de hoje. Apesar de não termos informações sobre uma máquina eficaz do tempo e, mesmo quebrando a cabeça para compreender os Cristais do Tempo no campo da física, muitas coisas já foram alcançadas graças à essas indagações. Registar um momento, apesar de ser super simples hoje em dia, foi uma dessas grandes conquistas sobre o TEMPO. Por meio de uma caixa, conhecida como Câmara Escura, surgiu a primeira base da câmera fotográfica tão querida por nós.

Que tal tentar fazer sua própria câmera escura? A segunda edição da exposição CoMciência – Cristais do Tempo, do MM Gerdau, traz como tema “Os Cristais do Tempo”, assunto que nos convida para longos passeios a fim de compreender o seu significado. Uma das obras apresentadas nesta edição nos leva a refletir sobre esse desejo antigo da humanidade de capturar o tempo, como na obra Obs_cu_ra, de Bruno Alencastro. Bruno propõe em seu trabalho a troca de registros desse período pandêmico através da Câmera Escura. Estendendo a proposta do artista, convidamos a criar sua própria câmera escura e poder enxergar nela um tempo que logo se transformará em passado, criando assim, expectativas de novas imagens num futuro melhor. 

Visita Virtual Mediada (novo roteiro – Cristais do Tempo)

Datas:
– 27/01, quarta-feira, 10h30, pelas plataformas Zoom ou Google Meeting
– 29/01, sexta-feira, 14h30, pelas plataformas Zoom ou Google Meeting
Inscrições pelo e-mail: [email protected]

O tema do edital do ano passado convidou artistas, cientistas e demais criadores e pesquisadores a proporem ocupações em espaços do MM Gerdau (virtualmente e presencialmente) com trabalhos que suscitassem perguntas e reflexões sobre esse assunto em meio às incertezas do “agora”.  Sendo assim, a visita virtual é um convite a uma caminhada pelo espaço do museu, trabalhando e vislumbrando possibilidades sobre os “Cristais do Tempo” nas exposições presenciais.

Obs: Nos dias 27 e 28/01, às 14h30, acontecerão ainda as Visitas Virtuais Mediadas sobre o Prédio Rosa e Diversidade Mineral, respectivamente.

Oficina Balangandã

Quando: 28/01, quinta-feira, no Instagram e YouTube do MM Gerdau

Conhecido como foguetinho, barangandão ou balangandã é um brinquedo ligado à cultura afro-brasileira e era usado como amuleto. Geralmente, é feito com jornal ou revista, barbante e várias tiras de papel, que flutuam no ar de acordo com seu movimento. Quando giramos, o efeito visual atrai e diverte. Que tal aprender a fazer um com o nosso Educativo?

Live Toninho Horta – “Encerramento Santa Mexidaria – Festival Gastronômico”

A live é o encerramento do Santa Mexidaria, um festival gastronômico envolvendo 7 estabelecimentos (bares e restaurantes) do bairro de Santa Tereza, onde cada um vai participar com a elaboração de um “mexido”;

Quando: 31/01, às 18h
Local: Transmissão ao vivo no canal do Youtube do MM Gerdau diretamente do Museu

Sobre Toninho Horta 

Vindo de família de músicos – seu avô, o maestro João Horta foi destaque entre os compositores de música sacra e popular no período barroco mineiro – Toninho teve as primeiras aulas de violão com sua mãe Geralda, que era bandolinista, e seu irmão Paulo contrabaixista. Na adolescência compôs suas primeiras canções, acompanhando cantoras na TV Itacolomy e se destacava entre os jovens músicos de sua geração. Morando no Rio de Janeiro a partir dos anos 70, TONINHO HORTA se tornou bastante conhecido nas rodas do meio artístico, sendo admirado por todos pela sua performance bem pessoal, quando tocava a guitarra ou o violão e pelas composições inventivas com sofisticada harmonia.

No II Festival Internacional da Canção em 1967, promovido pela Rede Globo de Televisão com direção artística de Augusto Marzagão, Toninho Horta foi finalista com as suas músicas “Maria Madrugada” letra de Júnia Horta e “Nem é Carnaval” em parceria com Márcio Borges. No IV Festival Internacional da Canção, em 1969, no mesmo esquema do anterior, TONINHO HORTA novamente finalista com a música “Correntes” cuja letra de Márcio Borges foi censurada, tendo que fazer algumas alterações. Em 1970 integrou a banda de Elis Regina e participou da gravação do LP “Ela”. Em 1972 participou em várias faixas no LP Clube da Esquina de Milton Nascimento com os seus amigos músicos e compositores, numa variedade de instrumentos, violão, baixo, bateria, percussão e vocal. Em 1974 integrou o grupo “Som Imaginário” que ao lado de Milton Nascimento e orquestra gravaram o histórico álbum duplo ao vivo “Milagres dos Peixes”.

Dentre os nomes com os quais Toninho Horta já dividiu o palco, gravou e/ou excursionou, estão: Pat Metheny, Flora Purim, Nana Caymmi, Maria Bethânia, Rudi Berger, Jack Lee, Gil Goldstein, Ronnie Cuber, Nicola Stilo, Gal Costa, Djavan, Danilo Caymmi, Dori Caymmi, Flávio Venturini, Joyce Moreno, Tom Lellis, Alaíde Costa, Wagner Tiso, Ivan Lins, Edu Lobo, etc. 

Compartilhar:

Paloma Morais

administrator